segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Cronistas do futuro agora no Engenhão


Por Rodrigo Shampoo

Num Engenhão quase lotado, para o empate em 1 a 1 entre Vasco x Flamengo, o projeto "Cronistas do Futuro" da Acerj (Associação dos Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro) voltou com força total. Dividindo espaço com jornalistas consagrados na tribuna da imprensa, crianças, de 7 a 14 anos, ficaram antenadas na partida.

O projeto, promovido pela Acerj com o apoio da Casa da Empada, começou no Maracanã. Com o fechamento do estádio para as obras da Copa do Mundo de 2014, passou agora para o Engenhão.

As crianças analisaram o jogo como verdadeiros jornalistas e deram nota para os jogadores. O que faltou de emoção no clássico dos milhões, sobrou para a molecada, que, animada, divergia sobre o melhor jogador em campo. O escolhido foi Diego Maurício, do rubro negro.

No intervalo, a hora do lanche. As empadas de frango, camarão e maçã da Casa da Empada fizeram sucesso. Mas a curiosidade maior ficou por conta da torcida do Vasco, que jogava papel higiênico no campo. Foram rolos e mais rolos. Dois deles atingiram a minha cabeça, mas eu não fiz tomografia. Cabelo é que não me falta. E ainda bem que os rolos jogados não estavam usados!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

As noivas de Patrícia Vergara

Por Ribamar Filho

A estilista carioca Patrícia Vergara lança sua nova coleção. Desta vez com foco nas noivas. São seis looks criados para elas. Dos mais românticos aos contemporâneos, a estilista trouxe peças em tons que prometem na próxima estação, como o nude rosado, o bege e até um chamativo vermelho, todos com muitas variações de tecidos, texturas e contraposições.



Um dos destaques é o vestido de noiva vermelho, com detalhes em renda branca. A estilista faz uma releitura da Idade Média neste look. O vestido curto, branco com detalhes em preto, para noivas mais ousadas, também vai dar o que falar, lembrando um estilo mais melindrosa. Patrícia, conhecida pelos seus famosos corseletes, revela: "Pela primeira vez, criei toda uma coleção destinada às noivas. E minha grande inspiração é Dior".

As fotos da nova coleção foram produzidas pela fotografa Letícia Veras no evento Mulher de Corpo e Alma, que aconteceu no MAC (Museu de Arte Contemporânea), obra de Oscar Niemeyer, em Niterói no Rio de Janeiro, quando “as noivas” de Patrícia Vergara desfilaram pela primeira vez estes novos looks. Mais informações no site: http://www.atelierdemoda.com.br/ ou pelo telefone (21) 2610-2576

Atelier de moda de Patrícia Vergara
Shopping Lido Center São Francisco – Niterói – Rio de Janeiro
Av. Quintino Bocaiúva, 325 – sala 402

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

PT X PSDB


Por Rufino Carmona

É farpa para tudo que é lado nessa reta final do 2º turno da eleição presidencial de 31 de outubro. Uma pena! Por mais que os dirigentes dos dois partidos hegemônicos jurem, de pés juntos, que os governos de Fernando Henrique e de Lula foram diferentes. Por mais que eles digam, e repitam a todo instante, as grandes diferenças entre o PT e o PSBD, na verdade os dois são farinha do mesmo saco. E não digo isso em tom crítico, mas pelo respeito e admiração que tenho pela história desses dois partidos brasileiros, que têm, em suas bases, figuras que lutaram pela democracia e que formam os melhores quadros de que dispomos no nosso país.

É muito triste saber que se o PT sair vencedor com Dilma Roussef, vai precisar continuar com sua grande aliança que de programática não tem nada. E ainda vai ter que levar, muito mais fortalecido, e com direito ao cargo de vice, o nosso velho PMDB de guerra, mas que, há muito, deixou de ser o partido do doutor Ulysses. Hoje, não passa de um partido fisiológico, que rapidamente vai compor com José Serra, se este for o eleito. Uma coisa, pelo menos, o PT não vai precisar fazer: encontrar um cantinho para o PFL, ou melhor, para o DEM (é que para mim eles nunca vão deixar de ser PFL) nessa ampla aliança.

Já se o PSDB for o vencedor do 2º turno com José Serra, meus amigos, ele vai ter que cortar um dobrado para fazer a maioria de que precisa no Congresso para governar os tupiniquins. Mas não creio que vá ser assim tão difícil. Os caciques do PMDB já disseram que têm bom relacionamento com o tucano. Afinal, sem o PMDB quem governa esse país? Mas o PSDB, ao contrário do PT, vai ter que levar o PFL (ih! Errei de novo) o DEM a tiracolo.

Puxa vida! Não seria melhor para o Brasil se, a começar por Fernando Henrique e Lula, esses dois partidos tão representativos do povo brasileiro se unissem e deixassem PFLs (ou melhor, DEMs) e PMDBs de lado? Não sei se fariam maioria no Congresso, mas seria um grande passo para algo parecido com a Consertacion (tomara que eu tenha escrito certo) que aconteceu no Chile depois da sangrenta ditadura de Pinochet. Juntos, PT e PSDB ou PSDB e PT, não quero mais brigas J fariam as grandes reformas que esse país tanto precisa para alçar o vôo mais esperado e se tornar uma nação de Primeiro Mundo em pouco tempo.

Mas o PT ou o PSDB na oposição, qualquer um dos dois, vai ser osso duro de roer. O PT mais, é claro. Eu queria sim é ver na oposição o PMDB junto com o PFL (ih, de novo) com o DEM. Eles iriam se entender? Sei lá. Eu não ía nem querer saber. Iria somente aplaudir essa aliança de petistas e tucanos que, antes de morrer, ainda vou ver ser celebrada.

Mas que ganhe o melhor no dia 31. O melhor mesmo seria o PT e o PSDB juntos a partir de janeiro de 2011. Mas não se vive de utopias. A realidade é nua e crua. Eles são irmãos, mas não se dão de jeito nenhum. Caim e Abel começaram tudo isso. A culpa é deles!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Seminário: O JB que nós amávamos


Acontece dia 20 e 21 o seminário: "O JB que nós amávamos" promovido pela ABI (Associação Brasileira de Imprensa). Vai ser no centro do Rio de Janeiro. Mais informações pelo site http://www.abi.org.br/


A equipe MercadoCom apóia esta idéia!

Clientes na mídia: Secif e Thai Wok


O que mudou no Fla de Luxa?

Por Rodrigo Shampoo

Após conquistar sete pontos em nove disputados, o time do Flamengo se distanciou da zona de rebaixamento e pôde respirar na 13ª colocação. Mas o que mudou no Flamengo de Wanderley Luxemburgo em relação ao Flamengo de Silas ou o de Rogério Lourenço? A resposta é bem complexa e envolve muitos pormenores que só o futebol pode explicar.

Para começar, após a demissão de Andrade, ex-interino que sagrou-se hexacampeão brasileiro, o Flamengo apostou em outro interino e, depois, no inexperiente Silas, que foi bem no Avaí, mas decepcionou no Grêmio, e voltou a ir mal no rubro-negro. Aí, enfim, o tiro certo: todas as fichas, que eram poucas após tantas polêmicas extra campo, foram apostadas no já "desacreditado" Wanderley Luxemburgo.

O Fla em crise e o Luxemburgo já não sendo o mesmo técnico de outrora: uma combinação explosiva que poderia afundar de vez o Mengão. Mas... o que aconteceu vai muito além das explicações táticas. Poderia até ser a seguinte: “Luxemburgo arma um time ofensivo...” ou até mesmo “Ele conhece os posicionamentos táticos e sabe explorar o melhor de cada jogador...”. Mas por que então ele não fez isso no Atlético Mineiro, deixando o Galo na degola?

Aí é que entra a complexidade do esporte bretão. Todos sabem que Luxemburgo, há muito tempo, é um técnico ultrapassado, pelo menos é o que demonstram seus resultados. Mas todos sabem também que ele é flamenguista. Na matemática, menos com menos dá mais (lembra disso?). O Luxa tinha que mostrar, talvez na sua última grande chance ainda como técnico, que merecia respeito, que podia lidar com um grande clube sem titubear ou mesmo sem afundar sua carreira. Por outro lado, o Flamengo na beira do Z4, não poderia fazer apostas arriscadas, mas arriscou muito com o Luxa.

Resultado: O resultado? A matemática é exata, meu caro. Está certo que não podemos confiar nela, vide o Brasileirão 2009, quando o Fluminense tinha 99% de chances de rebaixamento e o Palmeiras 55% de chances de título. Mas terminou o campeonato com o Flu na Primeira Divisão e o Fla campeão. Enfim, o Wanderley tem nas mãos o clube do coração. Se ele falha, seria uma persona non grata na Gávea. Se ele faz uma boa campanha, segue no clube e tem a chance de finalmente ter a oportunidade de pôr seus planos para o futebol do Flamengo em prática, conseguindo até mesmo o que nem Zico conseguiu. E o resultado? Ele deu um novo gás na equipe rubro-negra e outro maior ainda na sua carreira.

Talvez seja cedo ainda. Mas os primeiros resultados e a forma dos jogadores atuarem em campo mostram que algo mudou, tanto na postura quanto na mentalidade e na maneira de jogar.

E para todo o arco íris, que já sonhava em ver o Mengão na segundona, já pesquisei o preço dos lenços. Semana que vem, no meu post, vou sugerir alguns, desde os mais baratinhos, como o lenço de segunda para os vascaínos até os de seda importada especialmente dedicados aos tricolores. Ah! para os botaguenses nem precisa. Eles já têm uma linda coleção de lenços, de todos os tipos, tamanhos e cores.

Veja vídeo com os melhores momentos do jogo Fla 3 x 0 Inter: http://www.youtube.com/watch?v=ZRuWY7E3Q3U

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Ti ti ti tem casal diferente e original

Por Ribamar Filho

Regina Braga está "deliciosa" como Cecília de Ti ti ti. As cenas em que sua personagem aparece são pequenas (maiores em comparação com o início da trama), mas crescem a cada dia. O diretor Jorge Fernando e a autora Maria Adelaide Amaral já deviam esperar este banho de interpretação e foram deixando a personagem aparecer, e ganhar destaque, naturalmente. A atriz é rápida, principalmente ao viver uma personagem, que vive outras, com alternâncias de personalidade, o que só demonstra mais a riqueza e interpretação brilhante da atriz.

A dobradinha com o personagem Ariclenes (Murilo Benicio) é outro ponto forte desta história, neste caso de ambos. As cenas em que Cecília demonstra a sua fragilidade, escondida por trás de tantas personagens fictícias, ao revelar dados de sua vida ainda nebulosos para Ariclenes, são construídas de forma que os dois cresçam a cada capitulo. Em especial a cena em que Ari leva o vestido feito para a tia na casa de repouso e os dois dançam no meio do pátio, e ela agradece por sua amizade, se destaca como uma das mais emocionantes. (veja vídeo abaixo)

A humanidade do falso estilista, e a sua falta também, são mostradas nesta relação de troca. Ao mesmo tempo em que Victor Valentim usa do talento de Cecília para crescer na carreira, atingir o sucesso e principalmente o seu rival Jacques Leclair, vem o malandro do Belenzinho que se mostra solidário ao tentar descobrir o que aconteceu na vida da verdadeira estilista por trás do talento de Valentim. Ao fazer isto Ari traz à tona a sua face frágil, de um sujeito que com tantas idéias na cabeça, esquece da família, e tem com a “titia”, apelido carinhoso que deu a Cecília, momentos de verdade em que demonstra ser um sujeito preocupado com a família, mas que, ao mesmo tempo, quer mostrar que é um homem de sucesso para a sua ex-mulher, seu filho e seu rival, e acaba por parecer distante de quem realmente gostaria de ser. Ao tentar ajudar sua amiga, neste caso não a artista dos vestidos, nem as personagens criadas por ela, e até aproveitado por Ari, visto que Valentim também é uma criação sua, mas sim uma mulher que tem em seu passado algo que Ari vive em seu presente, a total mercê da situação real e para isso criar uma história diferente para viver uma suposta felicidade. Mal sabe Ari que o novelo de linha está se desenrolando e vai trazer a verdade para ambos. Mas que isso vai dar ainda muito Ti ti ti, lá isso vai, com certeza!

video

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Desejamos...


Estes são os votos da Mercado da Comunicação a todos os nossos amigos, colegas e a todos que foram, são e sempre serão eternas crianças.